quinta-feira, 30 de abril de 2009

GREEN STAR ... WANESSA CAMARGO EM PÂNICO

Quem?!?! Cantora!

TWITTER
Christian: Wanessa está incrível: magra e loira “Chicago”.
Wanessa: Estou o quê?
Christian: Tem a loira “Miami” também, que é um loiro mais “praia”.
Emílio: Você tem Twitter. Para quê você usa este negócio?
Wanessa: Para falar de coisas que considero interessante e divulgar meu trabalho.
Emílio: Qual a hora do dia que você reserva para ficar no Twitter?
Wanessa: Depende do momento. Por volta de meia noite, normalmente.
Emílio: Você tem Orkut?
Wanessa: Não, não tenho. Se tiver algum perfil meu, é fake.

CELULAR
Emílio: Algum fã tem seu número de celular?
Wanessa: Acho que tem.
Emílio: Mas você os atende?
Wanessa: Eu não atendo nenhum telefone que eu não conheço.
Emílio: Mas você anda com seu celular?
Wanessa: Sim. Mas eu não atendo número desconhecido.
Bola: Se o número não está na sua agenda, você não atende?
Wanessa: Isso mesmo. Minha agenda tem 300 números, se não identificar nenhum deles, eu não atendo. Não é por causa de fã, é porque muitas vezes nos ligam para convidar para festas que eu sei que não vou. Para não ter que dar uma desculpa esfarrapada, eu já nem atendo.
Emílio: Tem muita gente chata atrás de você o tempo inteiro?
Wanessa: Acho que não. Hoje eu tenho um modo de vida mais fechado.
Emílio: Tem algum fã que você gosta, que você conversa até por telefone?
Wanessa: Tem.
Christian: Você tem muito fã “biba”?
Wanessa: Eu adoro fã “biba”.
Amanda: Fãs são, normalmente, gordos.
Wanessa: Fã gordo? Por quê?
Amanda: Não sei. Gorda se projeta na artista.

CD NOVO
Amanda: Quando você se descobriu tão black assim? Um dia, eu estava mudando de canal e vi você cantando com o JaRule!
Wanessa: Meu CD novo não é totalmente black, mas tem uma “pegada” nova, com influências brasileiras. Está bem diferente dos meus antigos trabalhos. É um trabalho mais maduro e mais próximo do estilo musical que me agrada hoje. Tem mais a ver com o que eu estou ouvindo.
Amanda: Mas você ainda canta aquelas músicas bregas?
Wanessa: Eu não acho que a minha música é brega. A minha carreira já tem 8 anos e eu tenho público para isso.
Amanda: Você acha que o seu público evoluiu com você?
Wanessa: Sim. Quando eu tinha 17 anos, eu gostava de cantar um estilo e meu público gostava de ouvir aquilo. Agora, estou com 26, gosto de outros estilos e meu público cresceu também, evoluiu.
Emílio: É importante mudar sempre.
Wanessa: É importante reciclar.
Emílio: O artista que não muda, não sobrevive.
Wanessa: Cantor é assim: quando você trabalha com música e conhece coisas novas, você tem vontade de experimentar coisas novas também. Os fãs podem entender isso como algo bom ou não.
Emílio: Sua música toca aqui na Jovem Pan e ninguém sabe que é você.
Wanessa: Outro dia, uma amiga minha ouviu.
Carioca: Eu só descobri que era você quando vi o vídeo da música no Youtube.
CAMARGO
Emílio: Você tirou o Camargo do seu nome?
Wanessa: Não.
Emílio: Deixa sem. Vai te dar sorte.
Wanessa: Não tirei. Neste CD está só Wanessa porque eu quis simplificar o visual e também para acostumar o público a me chamar de Wanessa, que é a minha identidade. Eu serei a Wanessa Camargo até morrer (e com muito orgulho), mas, pelo menos na capa do CD, eu quero ser a Wanessa primeiro e depois, a Wanessa Camargo.

Semana em Pânico: Wanessa Camargo


Virgula.com

Fonte: Pânico na internê